terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Nuevo


E pra terminar o ano, nada melhor do que Banksy, adoro! 2008 passou rápido, cheio de novidades, viagens, amigos, e claro teve como trilha sonora " E agora Lúcia" da banda Dimitri Pellz, com toda certeza, esse refrão foi cantado no decorrer do ano centenas de vezes, não só por mim. Que venha 2009, com muitos sonhos, alegrias, trampos, viagens,música boa, novos amigos, cinema,muito mochilão, saúde e claro amor, muito amor! Que venha abençoado que nem o que passou!


Feliz Ano Velho!


2009 é nóis!


Bjo bjo
jukebox: Grace Jones - La vie en Rose
J.M

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

domingo, 14 de dezembro de 2008

amado


Amor, hoje te escrevo palavras soltas, aquelas que achava sem formas, e que me fazem mudar essa idéia quando estou com você. Esse vazio que passou, a medida que meu corpo arrepia quando as mãos se entrelaçam. A boca que fica seca quando você tá longe, o carinho na nuca ao te ver e o abraço com seu cheiro. O suor já se misturou, já não sei onde larguei minhas coisas, adrenalina que se junta ao cansaço de um toque tão de perto. Os olhos estavam certos quando se encontraram. Poesia.

Agora te vejo. Dorme manso, um sono que me faz te ver melhor. Fico olhando,um beijo de leve com versos suaves pra não te acordar.


Sorte a minha.


jukebox: My Sweet Lord - George Harrison

J.M

Klimt


Quadrante


Gostando da tão esperada nova minissérie Capitu. A primeira cena, no metrô, grafitti, cenas cinzas, a cidade lá fora, o diálogo quase filosófico, a expressão dos atores, a volta do tempo, os significados da cena. A referência teatral no audiovisual, o cenário, a ópera, o texto, interferências dos melhores cineastas , beleza estética, boa trilha sonora, tudo junto. Bom. Projeto Quadrante, sem mais o que dizer, foda ( me chamem para trampo na produção!), admiro essa galera, a força e o amor ao vestir a camisa e se jogar para fazer um lance tão bonito, intenso e poético aos olhos e sentidos humanos. Capitu não tira o posto do meu preferido "A Pedra do Reino", também dirigido pelo Luiz Fernando Carvalho, a selvageria obra de arte mais extraordinária que já se exibiu como minissérie numa TV aberta, pô é Suassuna, amo, amo! Capitu também não deixa a desejar.Fiquei surper curiosa quando fiquei sabendo que tinham escolhido a vocalista do Manacá, que curto desde a época das apresentações do Humaitá pra peixe. Banda que tem referências no Movimento Armonial, Suassuna de novo! ( Ariano foi o idealizador do Movimento Armorial, que tem como objetivo criar uma arte erudita a partir de elementos da cultura popular do Nordeste Brasileiro. Tal movimento procura orientar para esse fim todas as formas de expressões artísticas: música, dança, literatura, artes plásticas, teatro, cinema, arquitetura, entre outras expressões.) O resultado de Letícia e Maria Fernanda para cargo de musa ficou bacana, tudo por conta dos olhos, aqueles olhos dissimulados de ressaca tão famosos. A surpresa? Michael Melamed, cara maluco, apresentador de um programa de entrevista massa da TV Cultura do Rio de Janeiro, escritor, ator e tudo mais. Gostei da sua versão de Dom Casmurro, das suas ruínas. Massa!


Grande Machado!


jukebox: hoje o tempo inteiro para Portishead, Glory Box crássuda no momento!


Não acredito que não fui no show do Macaco Bong.

J.M



sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Studio



Como já disse, uma das melhores baladas de Sampa
..............
......
VOTE NO STUDIO SP
MELHORES DE 2008 GUIA DA FOLHA:
- Melhor Clube
- Melhor Festival (Invasão Sueca)
- Melhor Projeto (Folk-se ou Jazz it Up)
- Melhor Pista de Dança
........................

Pernambuco, é nóis


É de fazer chorar, quando o dia amanhece e obriga
o frevo acabar
Ôh quarta-feira ingrata chega tão depressa só pra contrariar

Quem é de fato um pernambucano
Espera o ano e se mete na brincadeira
Esquece tudo quando cai no frevo
E no melhor da festa chega a quarta-feira


Minha terra amada! Salve Pernambuco e toda aquela essência cultural que só aquele povo sabe ter, a paulista com alma recifense! Amo, e como boa pernambucana, não vejo a hora desse carnaval chegar! Frevo, maracatu, cidade lotada, chega logo essa beleza. Fecha o olho e deixa o som ficar na cabeça. Recife é amor eterno!


J.M

poeta de boteco


Alice


“Me diz que tudo isso é um sonho, que daqui a pouco eu vou acordar com o som do despertador, ver que são 6:25, que tudo foi coisa da minha cabeça e que naquele momento dia está começando”. Repeti essa frase duas vezes em menos de uma hora . Aquele dia em que você pensa “Por quê eu sai da cama?”, foi isso que aconteceu. Penso como seria legal se minha vida fosse igual da Alice, a “do País das Maravilhas”. Sempre surtei, primeiro com o livro, depois com o filme em desenho (que tenho até hoje na minha coleção de relíquias de animados em VHS). A menina vive num mundo maluco, onde tudo é possível, tem viagens abstratas, só esbarra com doideira ( a centopeia psicodélica , que com seu cigarro solta fumaça em formas inimagináveis, tinha medo dela), xícaras pela metade, desaniversário, coelho falante, labirinto, cartas de baralho que andam e claro o mestral gato, nas suas cores rosa e lilás, seu sorriso que aparecia primordialmente, meio noturno, porém divertido, tudo muito louco, colorido e derrepente “Acorda Alice”, cara, era tudo um sonho, será? Queria ser Alice, apenas uma vez.

Será que em seu mundinho “ chapa-tudo”, de adrenalina e rock n’roll , Alice tinha dúvidas, ou apenas se jogava para ver o que a esperava logo ali na frente? Não sei. Não só uma, várias dúvidas surgem numa cabeça que pensa na velocidade de um maremoto, uma angustia começa a surgir e ... um sorriso, daqueles que quando se mostra ilumina todo rosto. Que homem bonito, não digo apenas na parte física, estética, e sim de tudo. Um olhar que irradia, contagia, ele é pulsante, gentil, tão gentil que me deixou sem graça.
Sem graça, mas com uma sensação boa. Sorte da mulher que estava com ele, já o nome até esqueci de perguntar.
Não gosto de segurar as emoções, deixo vir, mesmo que na hora errada, deu vontade de chorar, que chore, é bom para lavar a alma. E em meio a luzes verde, decoração e canções natalinas e a lembrança de não gostar muito dessa época do ano, me bate a saudades.
Não sei ao certo se é do que eu ainda não vivi, do que está por vir ou do que aconteceu.
No carro toca “Angra dos Reis” da boa Legião Urbana, vejo que o clima não está para essa música e já mudo para um Hurtmold, melhorou.
As luzes na cidade continuam acessas. A insônia já dura duas noites. Teoria do Caos.

A saudades do Théo aperta.

Passa. O meu amor por ele não.



Jukebox : De fazer chorar – frevo foda na na versão da banda Eddie.


Numa noite de Alice M.


sábado, 6 de dezembro de 2008

Os cabeça de rádio

Eu vou!!!!! Radiohead em sampa! é nóis!

J.M

Madonna




Ela é diva, em qualquer momento! Mãe quero ser Madonna, agora!

jukebox: Bairro novocasa caiada - Eddie
J.M

paixão sonora


Eddie



1. Bairro Novo/Casa Caiada (Fabio Trummer)
2. O Baile Betinha (Erasto Vasconcelos)
3. Quase Não Sobra Nada (Fabio Trummer, Junio Barreto)
4. Carnaval no Inferno (Fabio Trummer)
5. Me Diga o Que Não Foi Legal (Fabio Trummer)
6. Gafieira no Avenida (Jorge Du Peixe, Lucio Maia)
7. Metrodux (Fabio trummer)
8. Nada de Novo (Fabio Trummer)
9. Desequilibrio (Fabio Trummer)
10. Eu To Cansado Dessa Merda (Fabio Trummer)
11. Dessa Vez Foi Demais (Fabio Trummer)

Participação especial: Curumin, Joaão do Cello, Nilsinho, Mestre Nico, Karina Buhr, Da Lua e Erasto Vasconcelo.

Foda


De olinda para o mundo!

jukubox: Desequilibrio- Eddie


J.M

a sensação de bem-estar




São exatamente 18:45, fim de tarde de um sábado muito quente, abrio os olhos, olhar o relógio e digo " Nossa". Acabo de acordar. Tudo resultado de uma das melhores baladas do ano, que começou na sexta. conversa afiada, música mais do que boa, amigos, muito Jorge Ben, Dub e som próprio, e eu me acabando na pista, sozinha, acompanhada, tanto faz, reuniu tudo: boa balada, gente bonita, amigos, samba, muita voz e a sensação de "festa boa" que dura até agora. Precisava.

Amigos, sempre eles!


jukebox: Danada - Eddie
Carnaval, Récife, espere que tô chegando!sempre!


J.M





quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Se joga


Em caso de dor ponha gelo
Mude o corte de cabelo
Mude como modelo
Vá ao cinema dê um sorriso
Ainda que amarelo, esqueça seu cotovelo
Se amargo foi já ter sido
Troque já esse vestido
Troque o padrão do tecido
Saia do sério deixe os critérios
Siga todos os sentidos
Faça fazer sentido
A cada mil lágrimas sai um milagre

Caso de tristeza vire a mesa
Coma só a sobremesa coma somente a cereja
Jogue para cima faça cena
Cante as rimas de um poema
Sofra penas viva apenas
Sendo só fissura ou loucura
Quem sabe casando cura
Ninguém sabe o que procura
Faça uma novena reze um terço
Caia fora do contexto invente seu endereço
A cada mil lágrimas sai um milagre

Mas se apesar de banal
Chorar for inevitável
Sinta o gosto do sal do sal do sal
Sinta o gosto do sal
Gota a gota, uma a uma
Duas três dez cem mil lágrimas sinta o milagre
A cada mil lágrimas sai um milagre

Itamar Asumpção e Alice Ruiz


Novamente post com essa poesia musicada! Simplesmente linda e inspiradora, amo essa letra, principalmente na versão da Alzira Espíndola e da Zélia com a Annelis Asumpção. To na fase Led Zeppelin nos fones, óculos escuros, mochilas nas costas e um mapa na mão, mochilãoooo! Quer me acompanhar? segure firme na minhã mão, não?? Não me importa, as vezes me assunto de ver como sou extremista em alguns casos. O que importa realmente para mim é tá perto de quem eu gosto, ter prazer nas coisas mais simples como um café no fim da tarde e ir em busca do que me traga felicidade! "Se joga na pixxta gata", é o que meus amigos dizem, já passou da hora de virar cidadã do mundo! Amigo, que bom tê-los, família, meu abraço forte no final de um dia cansativo, amores, sempre o mais sincero e arrebatador. É aquele que quando vejo dá uma tremedeira imediata, moço bonito!

"Amo el amor que se reparte en besos, lecho y pan" , o incomparável Neruda.

ultimamente revendo : O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, Trainspotting e Alta Fidelidade

jukebox: Sem conserto - Maquinado

J.M

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

e bota estranho nisso


Não, este é um filme que eu não recomendo. Depois de ter assistido algumas cenas( a instiga começou aí) e ter lido a infeliz crítica do filme "Os estranhos" na revista Veja e de ter confiado no gosto da jornalista Isabela Boscov, responsável pela escrita publicada, resolvi pegar um cinema. A crítica do filme é posita, coisa rara numa revista onde só mega produções ganham destaque de páginas e páginas de imagens e textos ( e olha que já assisti vários filmes que a Veja considera "perda de tempo" e gostei), a revista sempre acerta nas indicações para música, aí sim dá certo com o meu gosto.Quase duas horas na sala do cinema, alguns sustos, tédio, risadas e o final, nossa, só ele já faleu a frase " Meu, péssimo".

O texto que aparece nos letreiros no início do filme são falsos, história da imaginação fértil do diretor Bryan Bertino, o roteiro Não é baseado em fatos reais como se lê. A volta de Liv Tayler nas telonas, linda como sempre, e o bonitão Scott Speedman nos papéis principais. Acontecimentos estranhos, mascarados bizarros, sangue, perseguições, telefones mudos e como de praxe uma casa longe de tudo como cenário. O problema é que sua história não convence. Cenas paradas, o que dá um pouco de sono, câmeras e montagens previsiveis pra um filme do gênero ... ah, mas a trilha é boa, sustos que mesmo esperados fazem dar pulos da cadeira, mas sem aquela sensação de desconforto causada em alguns filmes de terror. "Os estranhos" tem como referência outros filmes, fica nítido, principalmente do genêro de suspense , bebe de Hitchcock aos clichês besteirol que vão de Pânico aos filmes da série Halloween.Pouco se mostra, nada se explica, isso mesmo, e não a nada de brilhante nisso. As cenas finais já dá vontade de ir levantando da cadeira e conferindo se não deixou nada para trás no corredor do cinema. A crítica de Isabela na Veja termina "este aqui realmente dá medo", será?

Cineminha não valeu a pena, já a comilança de depois numa noite quente de domingo sim, sempre!

jukebox: Hurtmold, Hurtmold e Hurmold!


J.M Por enquanto nenhum filme tirou o posto de melhor "suspense/terror" do Iluminado, o preferido!

Baladinhas






Lançamento do Conexão Sul zeroum com show da Anelis Assumpção com participação do Beto Villares

Local : Studio Sp, dia 04 /12 , 22 h,Sp
Conexão Sul Floripa verão 2009, é um evento de música, arte e moda que acontecerá em Florianópolis , no pico do verão, nos dias 09, 10 e 11 de janeiro em um dos locais mais descolados da ilha : à beira da Lagoa da Conceição, dentro do Hotel Praia Mole Eco Village. Céu, Bnegão, Anelis Assumpção, Curumin, Beto Villares, Cordão da Insonia, Dj Magrão Dubversão, Dj Danilo Radiola Urbana. 6 bandas , 2 Djs, 3 dias de moda, música e atitude. A Zeroum, marca que cria roupas a partir do universo musical, apresenta seus artistas parceiros no palco. No lounge expõe peças inspiradas neles para que cada um possa levar para casa o estilo de cada banda em camisetas produzidas especialmente para o Conexão Sul.

Para quem não sabe a A ZEROUM é um espaço de encontro de pessoas, idéias e movimentos ligados a produções artísticas não orientadas pelo mercado. Cria parcerias com artistas do som, das imagens e de todas as manifestações que colorem as metrópoles. Reúne gente conectada por uma freqüência comum: trabalhar de forma cooperativa para potencializar os efeitos das ações individuais.
O projeto surge para experimentar novas possibilidades de criação e de produção, novas formas estéticas e comportamentais, na tentativa de deixar de lado padrões e expectativas sociais e correr atrás de quem queremos ser de fato, escolhendo pela livre expressão.
Esse espírito de desprendimento, que fez a ZEROUM nascer, é presente em muitos dos trabalhos chamados de independentes. A vocação da ZEROUM é cooperar na viabilização, apresentação, difusão e comercialização de trabalhos dessa natureza.
A ZEROUM foca a moda para apresentar o resultado dessas parcerias. Mas vai além: revistas, fanzines, cartoons, grafite, cds, dvds e todos os suportes para as artes visuais e audiovisuais estão na mira e no desejo da ZEROUM para serem incorporados ao projeto.
Assim, criamos um espaço para abrigar e realizar trabalhos artísticos com diferentes linguagens e suportes, com a motivação simples de criar e produzir juntos, acreditando que a soma das forças é sempre mais interessante.


Balada massa, eu vou!




J.M

Chapada dos Guimarães




Memórias e fotos daquela viagem que se faz com todo mundo, nesse caso, vó, vô,mãe, família. Chapada dos Guimarães MT, trip massa, lugar lindo, pra sentar e curtir a paisagem, lindo! Muito bom!

jukebox: Iara Rennó


J.M