sábado, 27 de setembro de 2008

moça com uma flor



Sim, publico na íntegra um e-mail recebido hoje, numa manhã onde o vento não parava a cortina do meu quarto, o sol escaldava lá fora e de repente uma chuva veio para acalmar. Letras, que viram palavras, formam frases, qual é o poder da palavra? Ah meu, muito! Se bem escritas, invadem a alma, aconchegam, causam tempestade mental, instigam o pensar e fazem chorar. Amo as palavras, adoro brincar de conduzir, mas elas têm um ritmo e um caminho próprio. Damos aquele empurrãozinho, e ela ecoa, toma sua forma num raio de luz incalculável. Acertei no quesito jornalismo, deixe essas palavras virem até mim!
O e-mail?? Fez abrir um sorriso no rosto. A remetente é aquela que é música no ouvido, uma bossa nova de vestido florido, cabelo ao vento e cheiro bom no ar. Abraço apertado, mochila nas costas, sua vida é um poema, desses sinuosos e muito bem escritos. Obrigada pelo meu sorriso que durou um dia inteiro e a sensação de bem estar que você me causa. Ela é a "toda colorida" de Jorge Ben, uma mulher de Atenas do Chico e a Maria do Milton.

Te amo moça com uma flor!


Amiigo estou aqui, AMIIGOO estou aqui, amiiigo estou, amiigo estou
Amiiigoo estou aquiii...
Nãoo, eu não esqueci do dia da minha nega! Não estive por esses dias, fazendo uma maquete pra um professor.. enfim, ele que se dane eu vim aqui falar sobre você!
Nega, das coisas bonitas que há na vida, da canção que existe ao teu redor, das metonímias, das aliterações, das coisas boas de se escrever e ouvir. De todos os sentimentos,de todas as vontades, de todas as loucuras, e gostos incríveis. Por todos os cafés, e shows, e passeadas, e praças. Por todo Bonito, por todos dias de faculdade. Por todo encontro de gostos, por todo bem que você me faz, e empolgação que me faz crer que a vida pode ser feliz e completa apenas por temos o que participar e viajar, e crer que tudo é um vasto mundo de delícias poéticas, pois vamos ouvir chico, vinícius, tom, céu, adriana, marisa, paulinho da viola, nara, e outros tantos! Queria ter preparado algo pra você, ainda vou preparar...

NEga, sei que você tem várias amigas, parceiras, mas a Dê vai estar sempre aqui! Ahú!E me chama pra um mochilão, eu vou cantando e tocando violão.. por um trocado pro almoço sabe? ahauahuhuahaA ai negah, você é beleza em tudo, você orna sabe? você é completa!É fácil olhar e ver quem é a Júlia.

Parabéns nega, que seus sonhos sejam alcançados, e eles vão ser, eu sei...nega, que você seja muuuuito feliz!

São oito horas da manhã, de uma sexta feira, do dia 26, do mes de setembro, do ano de dois mil e oito. E eu estou chegando ao final de um email pra uma pessoa, tão perto quanto longe, por quem meu apreço só aumenta a cada poesia que transcrevo dela.


Beijos Jú.

jukebox: One I Love - Coldplay







sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Desaniversário



Não vou lamentar
a mudança que o tempo traz, não
o que já ficou para trás
e o tempo a passar sem parar jamais
já fui novo, sim
de novo, não
ser novo pra mim é algo velho
quero crescer
quero viver o que é novo, sim
o que eu quero assim
é ser velho

Envelhecer
certamente com a mente sã
me renovando
dia a dia, a cada manhã
Tendo prazer
me mantendo com o corpo são
eis o meu lema
meu emblema, eis o meu refrão


Mas não vou dar fim
jamais ao menino em mim
e nem dar de, não mais me maravilhar
diante do mar e do céu da vida
e ser todo ser, e reviver
a cada clamor de amor e sexo
perto de ser um Deus
e certo de ser mortal
de ser animal
e ser homem

Tendo prazer
me mantendo com o corpo são
eis o meu lema
meu emblema, eis o meu refrão
Eis o meu lema
meu emblema, eis minha oração
Eis o meu lema


meu emblema, eis minha oração
...........
na versão de Ney Matogrosso, claro!
Comemorando mais um desaniversário!Noite = amigos, abraços, surpresas, conversas e diversão, lov em tempo integral!
J.M

domingo, 21 de setembro de 2008

De la Riva


Te amaré, te amaré, junto al viento,
Te amaré, como único ser
Te amaré, te amaré en lo profundo
Te amaré, como tengo que amar
Te amaré, hasta el fin de los tiempos
Te amaré, y después te amaré


Por hoje, Marina de La Riva na vitrola. Noite fria, chocolate, um bom filme e você!
Cansada, sem sono, arrumando os cachos com as mãos! Precisava de um bom show para aquecer . Dominguinhos e Yamandú? Agora já era! Quero Madonna! Vontade de textos abstratos e poesia com sentido, sem contar as fotos! Ah, como amo fotos!!!!!



J.M



domingo, 14 de setembro de 2008

hoy


Ney Matogrosso , Planta e Raiz e Adriana Calcanhoto, três shows num intervalo de uma semana. Bom . O céu fecha . Está chovendo na roseira. Que saudades da minha sumpá. Tempo cinza, vento no cabelo, garoa, café, João Gilberto no carro e prédios. Madalena, centro, metrô, jazz e pra terminar a padaria de esquina na rua da casa da vó. Preciso. Saramago . Neruda . Sofia Loren . Meirelles. Pantanal . Uma sensação de estar fora do seu mundo. Câmera na mão . Cinema, digo o meu cinema. Tédio. Carinho de mãe. O2 Filmes. Alegria, alegria de Caetano. Mochilar com sol na cara. Mãos dadas. Casos passageiros . Música no ouvido para esquecer de tudo. Du Peixe me traga Recife na voz. Carnaval que demora. Impressionismo. Caranguejos no mangue. Peanuts. Skate no fim da tarde . Portishead . A perplexidade de ver o tanto de gente inútil e arrogante que existe no mundo. Gentileza. Sorte que tem quem salva. Semana cheia.

A falta eterna do Théo

Baby, I’m so alone, vamos pra Babylon...


Jukebox : pra hoje, Led Zeppelin o dia inteiro




J.M

Zumbi


Comprando o que parece ser
Procurando o que parece ser
O melhor pra você
Proteja-se do que você
Proteja-se do que você vai querer
Para as poses, lentes, espelhos, retrovisores
Vendo tudo reluzente
Como pingente da vaidade
Enchendo a vista, ardendo os olhos
O poder ainda viciando cofres
Revirando bolsos
Rendendo paraísos nada artificiais
Agitando a feira das vontades
E lançando bombas de efeito imoral
Gás de pimenta para temperar a ordem
Gás de pimenta para temperar
Corro e lanço um vírus no ar
Sua propaganda não vai me enganar
Como pode a propaganda ser a alma do negócio
Se esse negócio que engana não tem alma
Vendam, comprem
Você é a alma do negócio
Necessidades adquiridas na sessão da tarde
A revolução não vai passar na tv, é verdade
Sou a favor da melô do camelô, ambulante
Mas 100% antianúncio alienante
Corro e lanço um vírus no ar
Sua propaganda não vai me enganar
Eu vi a lua sobre a Babilônia
Brilhando mais do que as luzes da Time Square
Como foi visto no mundo de 2020
A carne só será vista num livro empoeirado na estante
Como nesse instante, eu tô tentando lhe dizer
Que é melhor viver do que sobreviver
O tempo todo atento pro otário não ser você
Você é a alma do negócio, a alma do negócio é você
Corro e lanço um vírus no ar
Sua propaganda não vai me enganar



Nação Zumbi


Como sempre, os melhores!


J.M

meu rascunho


Uma talvez falsa autobiografia

Ela tá sentada . Aonde? . Ali, naquele banco sozinha. Passa uma, passam duas, três várias pessoas. Ela continua ali olhando. As horas passam. e ela ali . Pensando, pensando, pensando .

Uma pessoa que gosta de pensar. Desde cedo se perguntava coisas que a maioria das crianças não perdem muito tempo pensando como “ Se a terra é redonda, quem mora na Antártida tá de cabeça pra baixo? ” “ Será que dá pra ir a nado até a África? ( ela ainda acredita nisso) ” ou “ Se eu não posso falar com estranhos como que vai ser pra uma pessoa não ser mais estranha e agente se conhecer?” . Mas já dizia Fernando Pessoa que ser louco é ter uma memória longínqua e uma infiel lembrança de qualquer dita transitória que sonhou ter quando criança, então está tudo normal.

Ela também gosta de desenhar, tá sempre rabiscando em qualquer lugar, gosta de ler coisas interessantes, acha bonito palavras que combinam, se juntam e formam frases, acha da hora quem brinca de ser poeta. Tem uma paixão faminta pelo cinema, assiste sem cansar dezenas de vezes seus filmes preferidos, pra ela filme bom é quando ela chora, independente do gênero. Ela queria que sua vida fosse como num filme: Quando fica chato, a gente põe outra cena, quer esquecer o passado? A gente corta, quer mais emoção? Põe logo uma boa trilha e os efeitos especiais, achou o mocinho da história? Ah, vai logo pro “ The End”! E acabou o filme.

Ela gosta do estranho, o inefável, ela gosta de ver o que ninguém tá vendo. “ Olha gente, que bonito aquele cara” somente ela diz “- Ai, não acho”, “-Nossa, olha que bonito aquele cara” – (somente ela diz) “Tá loca ? nossa, exótico demais” diz o resto. Ela gosta de coisas não óbvias , de um mistério, uma complicação, ela gosta de adivinhar : pensamentos, cores, gestos, falas ... Ela que por pouco não nasceu no Recife e virou uma mina de Sampa, que mesmo gostando do Pantanal, não vê a hora de voltar de vez pra Concrete Jungle, ela acredita que lá as coisas dão certo.

Outra coisa que ela não vive sem é música, cantarola o dia inteiro , parece a vitrola da casa da vó. Quando tá sem sono gosta de ouvir MPB, quando tá na areia em frente ao mar gosta de Bossa Nova, quando tá com os amigos, só escuta Rock, quando tá na estrada viaja com Blues, se quer ficar abraçada e ouvir alguém sussurrando no seu ouvido põe Jazz, quando quer ter a saudades de um ano inteiro, escuta um Samba, se quer mandar todo mundo embora da sua casa põe um de seus Boleros, e se quer lembrar da pessoa que ela mais ama, ela pega o violão.

Ela gosta muito de Maracatu, acha legal ouvir o coração bater na mesma batida do instrumento. É um pouco sentimental, gosta de chorar em shows, mesmo que seja num bem agitado como do Pearl Jam ou Coldplay. Não é influenciável, se gosta, gosta e pronto, se não, é não e acabou. Gosta de mochilão, adrenalina e lugares diferentes a fascinam. Gosta de andar de bicicleta sem ter hora pra voltar.

Gosta de ficar olhando só pra imitar depois, acha graça nas coisas mais sem graças, quase sempre chega sem dizer "oi" e vai embora sem dar "tchau", puro reflexo da sua possível timidez. Gostaria que de vez em quando abrisse um buraco no chão e de lá nunca tiraria sua cara.

Queria ser artista ,mas largou mão, gosta de interpretar sozinha, de dançar quando ninguém ta olhando, gosta de conversar bobagens, conversa fiada, de preferência em um boteco. Gosta de ver quadros, grafitar paredes, tirar fotos e de tomar café. Gosta de morango, subir em árvore, nadar no mar e andar a pé. Coleciona fotos 3x4 de quem conhece, já teve um cachorro, gato, papagaio e um peixe vermelho que morreu de morte morrida.

Ela gosta de ser sincera, pelo menos tenta.

Desde já ela gosta muito da Sofia, do Pedro e do Francisco.

É que todo dia ela faz tudo sempre igual, dá um sorriso pontual e beija com a boca de hortelã, e isso às vezes cansa, por isso ela inventa, e pensa, pensa, pensa ....


Muito Prazer
J.M

Dogtown

Lords of Dogtown. Filme bom, para passar o tempo é ótimo. O surgimento da cena skatista na Califórnia nos anos 70. Sim, claro que tem filmes melhores ( incluindo documentários) sobre o tema.
Um grupo de amigos decide levar os movimentos do surf para o skate, criando movimentos agressivos e sinuosos. Eles formam os Z-Boys, que na sua grande maioria é formado por jovens que adaptaram o surfe ao asfalto e às piscinas vazias das mansões de Los Angeles. Aos poucos vão se tornando verdadeiras lendas dentro do universo do skate. O filme, dramatizado pela diretora Catherine Hardwicke ( do péssimo Aos Treze) é inspirado nas reais histórias das lendas do esporte Stacy Peralta, Tony Alva e Jay Adams.

A trilha sonora vale a pena, o filme já começa com uma porrada certeira de Jimi Hendrix a todo o volume. Neil Young, Ted Nugent, Allman Brothers Band, Pink Floyd, Peter Tosh, Stooges, Deep Purple, Black Sabbath, David Bowie, Devo, Alice Cooper, Funkadelic, Cream, Faces e T.Rex também marcam presença.
Músicas que configuram um painel irresistível da década contracultural.

Destaque para o lindo do Heath Ledger, como sempre ótimo.



Massa, qualidade classe A , Fuzz Face, sonzeira da Austrália - www.myspace.com/fuzzface22


J.M







quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Felicidade sim


Felicidade

Palavra subjetiva . O que é felicidade pra você? Pra mim, ela está nas coisas mais simples como hoje. Fazia tempos que eu não sentia uma felicidade assim, por inteiro, desde a hora que acordo até o fim do dia. Na manhã aquela conversa de 15 minutos que se prolonga por uma hora e meia ( sim, ainda mais quando todos na roda são jornalistas), reencontro com amigos, calor de 36° graus, ótimo almoço com ótima companhia, novamente o calor que não passa, tarde para conhecer gente, - Preciso de uma garrafa de água gelada! , uma intuição e dou um pulo na produtora : pessoas, mudanças, cinema, que ambiente bom!
Chego em casa ainda com essa sensação de bem-estar, pego o telefone e vem a vontade de falar com aquela amiga que não conversava há muito tempo . Ela atende de imediato, sorte, achei que seria difícil de encontrar . Risadas, balada marcada e papo em dia. Desligo, no som em bom volume Ney Matogrosso, seu novo álbum “Inclassificável” ( que show foi esse??! Amei). Conversas em família e outro telefone, também amiga de tempos sumida. Me sinto bem. O calor continua e já deu 9 da noite. Agora? Saudades da Pernambucana, da Francesa, da minha cronista preferida, do Polaco e da Mami doida. Pra terminar a noite bem só um boteco, com uma gelada, música e muito papo furado.
Felicidade. Vem nas coisas mais simples. Uma gargalhada, uma boa ação, um bom filme, ouvir sua música preferida, o chamego do meu gato assim que entro em casa, um abraço de mãe, colo de vó,uma ligação de um amigo que você não vê há tempos, uma surpresa boa, um sopro de brisa nesse calor pantaneiro escaldante, um sorriso e um olhar de quem se gosta ...

Mais Feliz!

No momento com aquele sentimento de quem está apaixonada, que bom! Quero um abraço, um beijo e dormir com a cabeça no seu ombro, assim bem pertinho.

Novamente na fase Pablo Neruda.

“Amo el amor que se reparte en besos, lecho y pan”

Quero Curitiba!


Jukebox: Andréia Dias, bastante



J.M



Studio







Quando setembro chegar

............................


Setembro, o mês mais lindo do ano!


Que loucura boa! Todo mundo no pantanal pra gravar! Ricca Produções!


jukebox: J1 - a fofa Mallu Magalhães


J.M

........................