sexta-feira, 30 de maio de 2008

Sambando


Onde anda o meu amor... sambando!
Onde anda o meu amor... sambando!
Continuo a perguntaronde anda o meu amor
pois não sei se foi sambar ou arranjar um outro alguém.
Onde anda o meu amor... sambando!
Onde anda o meu amor... sambando!

Hoje eu canto isso, violão e minha voz, e num é que ficou bonitinho! Falsa modéstia! Musiquinha do Jorge Ben! Adoro esse som!

on my jukebox: 12 linhas - Siba e a Fuloresta ( minha nova paixão) Viva Pernambuco! Yeah, é nóis!

J.M


Sonantes again







Vou jogar tuas coisas fora

Janela abaixo, vou contar tua história

E se algum desavisado resolver passar na hora,

Vai levar um susto, mas

Vai fazer bonito, vai

De camisa listrada, com o disco do rei

E as juras que eu te dei



Sonantes



Projeto musical brasileiro formado por CéU, Dengue , Gui Amabis, Pupillo e Rica Amabis , sonzeira classe A! O primeiro disco teve participação ativa dos membros do Nação Zumbie contou com participações e composições de Jorge du Peixe, Siba, Lúcio Maia, Beto Villares, Daniel Bozio, Toca Ogan, Fernando Catatau, Gustavo Da Lua, Pepe Cisneros, Sergio Machado, BNegão e Apollo 9.Massa!





J.M



Fernanda Takai




Cansei de tanto procurar
Cansei de não achar
Cansei de tanto encontrar
Cansei de me perder

Hoje eu quero somente esquecer
Quero o corpo sem qualquer querer
Tenhos os olhos tão cansados de te ver
Na memória, no sonho e em vão
Não sei pra onde vou
Não sei
Se vou ou vou ficar
Pensei, não quero mais pensar
Cansei de esperar
Agora nem sei mais o que querer
E a noite não tarda a nascer
Descansa coração e bate em paz

Linda da Fernanda Takai, no cd onde ela só canta Nara Leão, audivelmente lindo!Fernanda Takai no palco é ora pra sair do chão, ora pra ficar vidrada nela, emocionada melhor dizendo!
Coias que quero fazer muito bem, mais muito bem antes dos 30: Cozinhar, Massagem e fotografar, estamos no caminho! Quero Cuba, Índia, México, Berlim, sim!Ando com uma necessidade enorme de ir para Berlim, por que? Porque lá rola! simples assim. Das ist wunderbar!Ja Ja, Deuschland!

E o amor é filme como canta Lirinha??? Acredito que sim! Agora, assistindo pela centésima vez Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças!



J.M


O mundo é uma cabeça


Curta: O Mundo é uma Cabeça
Direção: Bidu Queiroz e Cláudio Barroso

O Mundo é uma Cabeça é um registro do movimento musical pernambucano Manguebeat. Imagens inéditas de Chico Science, que conduz o ducumentário a bordo do seu "Galaxe" num passeio noturno pelo Recife antigo.O Manguebeat é um movimento que eclodiu no início dos anos 90 em Pernambuco, nomes conhecidos com Fred 04, do Mundo Livre S/A, Siba, Mestre Ambrósio, Otto, são uns dos nomes de peso presentes no curta. Otto dando seu depoimento, e no fundo um monte de caranguejos andando ao seu redor, Lúcio Maia de dreads, Chico alucinando e levantando a galera, imagens aéreas lindas de Recife, shows de 1994 do Mundo Livre, com Otto cabeludo e Fred 04 com seus óculos "fundo de garrafa", Mestre Ambrósio e sua cultura ecoando nos palcos,é muito bom! Imagens e cenas inéditas, frases, músicas, é tudo muito expressivo, e com um conteúdo sem igual! E Chico Science??? Um caso a parte, o cara!!Chico vai dando a direção que o doc vai tomando! Uma vontade de sair cantando e dançando no cinema! Foda demais! Adorei! No centro de tudo, os palcos e o orgulho de um movimento. A música é fonte de auto-estima e de dignidade intelectual.

Prêmios:
Os 10 Mais - Escolha do Público no Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2005
Prêmio Cachaça Cinema Clube no Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2005
Prêmio Unibanco de Cinema no Festival Internacional de Curtas de São Paulo 2005

Outro que vale a pena: Rua da Escadinha 62, deixa claro que sua "música" de fato é a voz de Christiano Câmara. Em seu saudosismo guerreiro, anti-moderno e deliciosamente populista, o pesquisador-colecionador cearense modula a voz ora para impor-se sobre o ouvinte-espectador, ora para seduzi-lo.Temos, então, um filme de fala e música, mas onde também a fala é música.

Repetindo: A música é fonte de auto-estima e dignidade intelectual!!!!!!!!

on my jukebox: The Pink Phanter Theme - Waltel Branco

J.M

Macy Gray/ Herbie Hancock




Macy Gray e Herbie Hancock juntos!!!!! Sim! e de graça!!!Jésussssss!Que que é isso malandragem????? Pois é, é São Paulo, é um abuso cultural em todos os nossos sentidos Humanos!

Este programa imperdível acontece neste domingo (1º), no Parque Villa Lobos. Os dois vencedores do Grammy subirão ao palco juntos e devem agradar os fãs do jazz mais moderno.
A reunião dos vencedores do Grammy nunca aconteceu antes. Macy Gray, famosa por seu estilo que funde o jazz, o soul e R&B de forma moderna, já esteve no Brasil três vezes. O jazzista Herbie Hancock passou pela última no Brasil em 2006, durante o Tim Festival.
O show deste domingo faz parte do projeto Telefônica Open Jazz, que já contou com apresentação gratuita de Diana Krall no ano passado. É uma boa chance de ouvir ótima música sem pagar nada!
Amo!

on my jukebox: Rosa Menina Rosa - Jorge Ben Jor
J.M

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Cidadão Instigado


Oswald

Dê-me um cigarro
Diz a gramática
Do professor e do aluno
E do mulato sabido
Mas o bom negro e o bom branco
Da Nação Brasileira
Dizem todos os dias
Deixa disso camarada
Me dá um cigarro

Oswald de Andrade

J.M

Billie Holiday







Na minha fase Billie Holiday, agora é o dia inteiro ouvindo a diva, na playlist o álbum Billie Holiday The Quintessential Volume III (1936-1937), ah, muito bom! Toda hora, em qualquer momento, Ich liebe Billie!
Terminado Chatô o Rei do Brasil, de Fernado Morais, finalmente!
.......................
On my jukebox: defenestrando - Sonantes



J.M

Maquinado




Não consigo encontrar
Um lugar apropriado para o fim.
O tempo entrou em coma,
Perdi minhas memórias e nem percebi
Um breve instante foi
Um presente que eu ganhei, mas ainda não abri
Tempo perfeito não
Deixa sobras no futuro
Igual a mim, igualzinho a mim
Igual a mim...

Qualquer um que fotografar
Os pesadelos de quem não volta a dormir
Vai andar olhando pro céu
Pois vai sempre estar a um passo de cair

Um breve instante foi
Um presente que eu ganhei, mas ainda não abri
Seguindo em frente então
Sem memória, e sem futuro
É melhor assim, bem melhor assim,
o melhor pra mim...
...................................................
Maquinado, projeto do Lúcio Maia, Adoro!!!!!!
J.M

Árido Movie




Jonas é o repórter do tempo de uma grande rede de TV, que mora em São Paulo mas está rumo à sua cidade-natal, localizada no interior do nordeste. O motivo é a morte de seu pai, com quem teve pouquíssimo contato e que foi assassinado inesperadamente. Jonas enfrenta problemas para chegar à cidade, até que recebe carona de Soledad, uma videomaker que está fazendo um documentário sobre a água no sertão. Ao chegar ele encontra uma parte da família a qual não conhecia até então, que lhe cobra que se vingue da morte do pai.

Elenco: Guilherme Weber, Giulia Gam,Gustavo Falcão,Selton Mello,Mariana Lima, José Dumont, Suyane Moreira ,Luiz Carlos Vasconcelos, Aramis Trindade , Matheus Nachtergaele,José Celso Martinez Corrêa.
Trilha : Otto, Pupilo e Berna Ceppas
Direção :Lirio Ferreira
Filme Brazuca! Muito bom, elenco de prima, fotografia linda, bem produzido, trilha sonora massa,uma viagem pelo sertão de Pernambuco.
........................
on my jukebox: Morte e vida stanley - Cordel do Fogo Encantado
J.M




La garantía que soy yo


Alinhada. Desajustada. No ponto. Esperando você . Na corda bamba, no meio de um carnaval, tomando uma chuva, sentada no banco ao lado. Vamos viajar? Já estou com a flor no cabelo, a mochila nas costas e o destino pra gente rodar. Acordo sempre sem querer conversar de manhã, mas um pouco mais feliz se você me acordar com o seu violão. Me dá a sua mão ou me encontre na próxima estação. Hoje eu quero um cinema, um bar e uma noitada que dure até de manhã. Quero ouvir Oasis, pegar onda, conversar sentada na areia e depois do pôr-do-sol, acho que já vai estar na hora de voltar.
Pega a bike, o casaco e na playlist “Stop Crying Your Heart Out" . Boa Noite!


On my jukebox:Toninho e os Chakas 5 - Hurtmold ( Eu amooooo Hurtmold)


J.M

Olinda


Lugar para estar agora. Olinda ,descendo a ladeira com aquele mar lá longe, mais já visível. Os casarões antigos em volta, o clima de litoral, na mão uma tigela de açaí com muita granola, o óculos escuro, os amigos, para onde nós vamos??? Ah esse calor ta pedindo praia!
Quero Olinda, casarões, praia, tapioca no alto da ladeira, frevo, cordel, balada e praia! All I need now!

Saudades de ouvir Maracatu!

On my jukebox: Praieira- Nação Zumbi

Vanguart


Deus dará


Deus me deu mão de veludo prá fazer carícia
Deus me deu muita saudade e muita preguiça
Deus me deu perna cumprida e muita malícia
Prá correr atrás da bola e fugir da polícia


Chico Buarque


J.M

Afro Bossa Nova




Homenagem a Tom Jobim, Afro Bossa Nova! 50 anos de Bossa Nova!

Paulo Moura(clarinete) e Armandinho(bandolim e guitarra baiana), foi lindo, foi foda! Poesia sonora em estágio bruto! Águas de Março, Insensatez, Chega de Saudades, todas com novos arranjos e o talento sem igual de Paulo Moura e Armandinho. Destaque também para o violonista Gabriel Improta e os percussionistas, que ecoavam as raízes Made in África mais estrondosas de seus tambores. Parte visual do show muito boa também, imagens que casavam simultaneamente com o som.
A caravana Afro Bossa Nova, está passando por 15 capitais brasileiras no projeto em comemoração aos 50 anos do ritmo mais gostoso, poético e fala baixinho que é a Bossa Nova. E o melhor, de graça.
Lindo! E infelizmente não estava cheio. Galera deveria se ligar mais no que é boa música, totalmente audível, valorizar os mestres da boa safra da música brasileira.

Dica da Hora: Paulo Moura + Yamandú Costa = El Negro Del Blanco

O encontro del Negro Paulo Moura com el Blanco Yamandú Costa, produzido pela Biscoito Fino, é também um encontro da música brasileira com a latina. A escolha pelo lado brasileiro foi feita por Moura, destacam-se “Sons de Carrilhões”(João Pernambuco), “Um Chorinho em Aldeia/Na Glória”(Severino Araújo) e um poutpourri afro-sambista de Baden Powell.A escolha pelo lado latino foi feita por Yamandú, que além de compor a música-título num ritmo de valsa venezuelana, selecionou “Gracias a la Vida”(Violeta Parra), “Decaríssimo”(Astor Piazzolla) e “El camino de la Vereda”(Ibrahim Ferrer).A importância desse encontro é buscar mais uma vez a latinidade, como uma essência quase sempre esquecida, mas quando se revela, manifesta sua beleza nessa mistura através do talento desses mestres, tão brasileiros e tão latinos.



"Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio de você viver sem mim.
Não quero mais esse negócio de você longe de mim..."


J.M

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Ceumar




Investir
É cultivar o amor
Se despir
É ativar

Resistir
É aturar o amor
Insistir
É saturar

Aderir
É estar com seu amor
Adorar
É superstar


Aplaudir
Até sentindo dor
É amar

Quem puder
Viver um grande amor
Verá

Consentir
É educar o amor
Seduzir
É cutucar

Amarei!
É conjugar o amor
Não amei!
É enxugar

Avançar
É conquistar o amor
Amansar
É como está

Como estou
Com muito amor pra dar
Eu dou!

Quem estiver
Atrás de um grande amor
Achou!

(Dante Ozzetti / Luiz Tatit)

Que linda! Ceumar! que linda, repetindo, show da hora, que energia, que arretada é a mulher, linda! CD perfeito, não canço de ouvir!Mesmo Dona Iza achando que todas as cantoras de agora ( Céu, Ana Canãs, Mariana Aydar, Roberta Sá, Caeumar) são todas iguais, "Tá na hora de aparecer alguém que inove ", será?

E hoje na varanda do apê, tomando café pra variar, vi o avião que estava perto, deu um aperto e um desejo de "bem que podia" aquela pessoa, lá de sumpá, estar naquele avião, o nego, mais que vontade de te dar um abraço apertado, conversar com você me faz um bem! Pero .... queria sampa agora, nesse momento V. Madalena, baladinhas ao som de muito dub, Fela Kuti meu! Quero agora! ah eu preciso, que bom que tá chegando, vo pra minha terra da garoa sampalizar!


on my jukebox: Meu olhar - Ceumar ( agora um mês só ouvindo Ceumar)


J.M


quarta-feira, 21 de maio de 2008

Acordando




A vida não escapa daquele minuto na frente
Que corre demente junto com o inocente presente
Num vale adiante, afastado, olhando distante
Respirando na hora acordado dormente

Com você não vai ser diferente
Sinto muito, mas e quem não sente

Vi o sangue correr
Corre aqui inocente

Com você eu insisto
Eu acordo o momento é ardente
Daqui pra depois da demora chegando indecente
Dou o sangue pra ver
Tu morrer
E nascer
E o sangue correr inocente
O perfume e o cheiro não mentem

Acordando - Jorge Du Peixe e Lúcio Maia- Trilha do filme brazuca Amarelo Manga!

Pois é, encontrei, mochilar agora só se for com o loiro! Que lindo, massa, que bom que você apareceu, é nois! Esse eu não deixo passar batido! Eu, você, você, eu .... tudo certo!

J.M

Caio

Se ele vier, pedirei que fique. Serei bom para ele. Mentira, não pedirei nem direi nada a ninguém. É indivisível, aprendi. Talvez consiga dormir. Talvez consiga acordar amanhã finalmente livre de tudo isso. Terei apenas um corpo, poucos pensamentos todos pequenos.

Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 19 de maio de 2008

No Veja

Ok, ok! Já tá dito! Hoje, tirei o dia para as leituras da semana. Caros amigos, Rolling Stone, Piauí, Bravo, Folha de São Paulo e Veja, sim, porque não? Veja São Paulo, sempre com bom conteúdo, e dá para confiar!


Você diz que me dá casa e comida
Boa vida e dinheiro pra gastar
O que é que há?Oh! Meu Deus!
O que é que há?
Tanta vontade que me faz desconfiar

Laranja madura
Na beira da estrada
Tá bichada, Zé?
Ô tem marimbondo no pé!

Santo que vê muita esmola
Na sua sacola, desconfia
E não faz milagres não
Gosto de Maria Rosa
Mas quem me dá prosa é Rosa Maria
Vejam só que confusão

Casuarina - To viciada nesse grupo, samba bom demais!


on my jukebox: Bom é quando faz mal - Matanza


J.M

Blogs



O caos de São Paulo organizado nos blogs

Endereços na internet retratam as diferentes faces da metrópole

A discussão sobre os novos valores do IPTU vem precedida de um comentário sobre as deliciosas receitas de uma doçaria judaica do Bom Retiro. Logo depois, um post adianta as tendências de um festival de música eletrônica marcado para setembro. No meio de assuntos tão diversos, fotos e comentários da quarta edição da Virada Cultural, realizada no mês passado. Na blogosfera paulistana, anônimos ajudam atualmente a ampliar discussões de temas e assuntos com impacto direto na vida dos moradores da capital. A São Paulo do trânsito caótico e da noite vibrante já é retratada em diversos endereços eletrônicos, criados de forma despretensiosa por profissionais liberais, estudantes, associações de bairro e até por estrangeiros radicados por aqui.





on my jukebox: litoranea- Clara Moreno


J.M





É necessário


Altos do Sumaré, minha São Paulo!


Viajar, viajar e viajar!


É necessário, você preparar
Seu amor, arrumar sua cama
Acender sua chama
Para me receber essa noite
Para não pretender mais que sou
Para se proteger, disso tudo seu pavor
Ninguém vai nos fazer mal

Quando você cai dentro
Do meu coração
É como se o sol e a lua
Se esparramassem pelo chão

É importante, você me saber
Acolher, como eu colho em você
Esperanças de querer
E deitar ao seu lado, de noite
E deixar que a paixão me domine
Num abraço pretender
Ser mais forte do que as leis
Que me prendem a você

Quando você cai dentro
Do meu coração
É como se o sol e a lua
Se esparramassem pelo chão

(Almir Sater)


J.M

domingo, 18 de maio de 2008

Buarque


Quando ela chora
Não sei se é dos olhos para fora
Não sei do que ri
Eu não sei se ela agora
Está fora de si
Ou se é o estilo de uma grande dama
Quando me encara e desata os cabelos
Não sei se ela está mesmo aqui
Quando se joga na minha cama

Ela faz cinema
Ela faz cinema
Ela é a tal
Sei que ela pode ser mil
Mas não existe outra igual

Quando ela mente
Não sei se ela deveras sente
O que mente para mim
Serei eu meramente
Mais um personagem efêmero
Da sua trama
Quando vestida de preto
Dá-me um beijo seco
Prevejo meu fim
E a cada vez que o perdão
Me clama

Ela faz cinema
Ela faz cinema
Ela é demais
Talvez nem me queira bem
Porém faz um bem que ninguém
Me faz

Eu não sei
Se ela sabe o que fez
Quando fez o meu peito
Cantar outra vez
Quando ela jura
Não sei por que
Deus ela jura
Que tem coraçãoe quando o meu coração
Se inflama

Ela faz cinema
Ela faz cinema
Ela é assim
Nunca será de ninguém
Porém eu não sei viver sem
E fim.


Falsa modéstia, essa é a minha música! I love Chico!
................................................
on my juke box:I Love My Man - Billie Holiday
J.M

Brazilian songs


O que eu escuto por agora! já, imediatismo musical! Música Brazuca, música da hora, sempre!


"Onde queres o ato, eu sou o espírito;
E onde queres ternura, eu sou tesão!
Onde queres o livre, decassílabo;
E onde buscas o anjo, eu sou mulher!
Onde queres prazer, sou o que dói;
E onde queres tortura, mansidão!
Onde queres o lar, revolução;
E onde queres bandido, eu sou o herói!"


Caetano


J.M

No gosto amargo das coisas


Acabou de sair, fresquinho ,o livro Clarice fotobigrafia, 650 páginas, 90 reais aproximadamente, uma parceria da Editora da USP (Edusp) e Imprensa Oficial do Estado.

O livro organizado pela professora de literatura da USP, Nádia Gotlib apresenta 80 imagens, que oferecem um amplo painel cronológico da vida e da obra de Clarice. Os principais atributos da obra: ilustrar de forma clara o percurso de vida de uma mulher em busca do seu lugar no mundo. É essa a relação muito peculiar com o mundo, esse correr riscos com a palavra e com a vida que faz da literatura de Clarice algo único. Clarice tira o fôlego, palavras pulsantes, que reinventam seu lugar no tempo e no espaço, criando uma escrita que perturba, ao mesmo tempo em que atrai. Assim é Clarice de alma e forma fotografada.

“Eu escrevo para o nada e para ninguém. Se alguém me ler será por conta própria e auto-risco”.

Eu adoro! Destaque para o jornal da USP, com uma matéria muito boa sobre Clarice Lispector, entre outras ótimas, USP regaçando pra variar! ( www.usp.br/jorusp)

No que eu escrevo só me interessa encontrar meu timbre.
Meu timbre de vida.

Clarice Lispector
...............................
on my jukebox: You Haven't Done Nothing - Curumin
J.M



Vitrola Invisível


Rádio, eu adoro. Ser locutor, falar, colocar música, montar o seu programa, e o melhor, sem ser visto, só ouvido, esse é o clima, isso é o máximo. Rádio encanta. Radiojornalismo sim! Agora falando de um puta programa, que eu escuto direto, mais de 100 gravações , lá de Sampa, Vitrola Invisível.Música, qualidade, nada de poluição sonora, musiquinha da moda e afins, não, o que se ouve aqui é música, e das boas.

O "Vitrola Invisível", programa musical veiculado no site do Selo Instituto, foi originalmente criado para a Internet , o primeiro foi ao ar em fevereiro de 2003. Infelizmente, hoje só podemos ouvir as gravações antigas, o Vitrola não está mais no ar, mais conta com um arquivo de gravações enorme, horas e horas de boa música nos zuvidos!

Que bom que dá para contar com esse tipo de iniciativa, rádio na net, vários fazem isso, mais com o conteúdo do Vitrola, ah, isso é difícil!

Aguns programas:


...................................................
on my jukebox: Acordando - Jorge Du Pexe
J.M

Coletiva Seletiva


Coletânea organizada pelo coletivo paulistano Instituto com artistas produzidos por eles. Bons nomes da cena musical mais alternativa comparecem, muito da hora!


Selo Instituto na Coleta Seletiva


01. Cabeça de Nego
Instituto e Sabotage

02. Gafieira na Avenida
Lúcio Maia e Jorge du Peixe

03. O Sol
Bonsucesso Samba Clube

04. Liri Sista
Alexandre Basa apresenta Lurdez da Luz

05. Minha Imagem Roubada
Cidadão Instigado

06. Tá Na Responsa
Z'África Brasil


07. Gorila Urbano
Mamelo Sound System


08. Flu
Também

09. Acordando
Lúcio Maia e Jorge du Peixe

10. O Samba
ChegouBonsucesso Samba Clube

11. Todas as Vozes do Mundo
Cidadão Instigado
12. Poesia de Concreto
Kamau e Instituto

13. No Flu do Mundo
FLu e De Leve

14. Falsidade
Mamelo Sound System

14. Aracnídeo
Instituto e Sabotage
J.M

Planeta Terror


Divertido e Trash, sem deixar de ser inteligente. Massa.


J.M

Madonna la diva


Ela é diva . Ela é musa. Ela dita moda . Ela é a rainha do pop . Eu amo .Madonna .


Mãe, eu quero ser Madonna!


Nossa, quantas vezes, desde pequena, ficava vendo seus videoclips e tentando dançar como ela, que postura, que presença, é diva e acabou. E as entrevistas????? eu como jornalista tremeria na base com essa mulher na minha frente ( quem o diga Marina Person). E os Cd's? Tenho vários. Os clips? Ah, ela e Björk competem pau a pau no quesito arte em videoclipes. Todos querem cantar com Madonna, todos querem dançar com Madonna! E agora: ahhhh tá confirmado, tá no site oficial da loira



MADONNA NO BRASIL NO FIM DO ANO!


Economizem grana, tenham paciência para ficar horas na fila e mais algumas na internet para comprar ingressos!


Eu vou! Eu vou! Eu vou! Vamos?


on my jukebox: Ray of light - Madonna, claro!
J.M

sábado, 17 de maio de 2008

Nelson Cavaquinho


O sol... há de brilhar mais uma vez
A luz...há de chegar nos corações
O mal... será queimada a semente
O amor...será eterno novamente
É o Juízo Final, a história do bem e do mal
Quero ter olhos pra ver, a maldade desaparecer

amor será eterno novamente


Nelson Cavaquinho


J.M

Hoy


O que eu mais queria hoje? Um fim de tarde no cinema, sushi, saquê, sushi, e pra terminar bem, bar, cerveja, noitada com muito blues e mpb. A companhia? Aquele que a gente vê filme debruçada no ombro,vai ao japonês e fica lado a lado e escuta blues abraçada, o cheiro que fica ainda em você no dia seguinte, perfeito!


Dia de folga! Sem gravações do documentário, quase marasmo. Tarde para ler Clarice e assistir pica-pau. Show em comemoração aos 50 anos da Bossa Nova! Lembro com saudades do show do Sidney Magal e do Belchior, quero de novo!A viagem pra Minas, e meu desejo louco de mineirar continua a mil! Pão de queijo e cafezinho ora! É nóis! E o jornalismo continua despertando mais paixões!

Quero assistir o espetáculo do grupo de Deborah Colker, “Cruel”, que fala sobre a dor das relações amorosas. “ Não é um balé sobre crueldade, mas um olhar cruel sobre vários temas” disse Colker em uma entrevista. Ela é foda! Também quero Bourbon Street, museus, bares e a noite paulistana, sampa novamente. A poesia da minha cidade de concreto me encanta. Quero ouvir Miles Davis nos fones enquanto caminho tranqüilamente numa noite de lua cheia e céu estrelado na Paulista, sob as luzes da cidade, será que dá?

Escuto agora sem parar “Only You” ,Portishead, bom até , da hora!


on my jukebox: Back At The Chicken Shack - Jimmy Smith

Todas as musas


Tudo bem, eu amo Tom Jobim, Vinicíus, Arnaldo Antunes, Roberto Carlos, Chico, Cartola,Ivan Lins, Moska, que são os caras, em se tratando de letras de músicas sobre o tema mais subjetivo de todos, o amor! Poetas! Agora, essa música, é uma declaração, daquelas gritadas, uma verdadeira paixão na cara, que letra, é linda! Meu muso, Lenine!


Nem a tigreza nem a vera gata
Nem a branquinha, de Caetano;
Nem mesmoa linda flor de Luiz Gonzaga,
Rosinha, do sertão pernambucano;
Nem Risoflora, a flor de Chico Science,
Nenhuma continua nos meus planos.
Nem Kátia Flávia, de Fausto Fawcett;


Nem Anna Júlia do Los Hermanos.


Só você,
Hoje eu canto só você;
Só você,
Que eu quero porque quero, por querer.

De Jackson do Pandeiro, nem Cremilda;
De Michael Jackson, nem a Billie Jean;


De Jimi Hendrix, nem a doce Angel;
Nem Ângela nem Lígia, de Jobim;
Nem Lia, Lily Braun nem Beatriz,
Das doze deusas de Edu e Chico;
Até das trinta Leilas de Donato,
E de Layla, de Clapton, eu abdico.


Só você,
Canto e toco só você;
Só você,
Que nem você ninguém mais pode haver.
Só você,
Rainha aqui é só você,
Só você,
A musa dentre as musas de A a Z.

Só você,
Mais que tudo e todas, é só você;
Só você,
Que é todas elas juntas num só ser.
.....................
Amo!
J.M

Playlist




Ando na minha fase Baden Powell, Mutantes, Miles Davis e Massive Attack


Na playlist:


Arnaldo Antunes, Matanza, Green Day, Rappa, Marisa Monte, Massive Attack, Gilberto Gil, Paulo Moura, Instituto, Xis, Paulinho da Viola,Pentágono, Móveis Coloniais,Ramones, Fernanda Takai, Seu Jorge, Cordel, Bebel Gilberto, Cidade Negra, Alceu, Cartola, Renato Teixeira, Noel, Mariana Aydar, Siba, Fagner, Elis, Zeca Baleiro, Clash, Portishead, Caetano, Mutantes, Pink Floyd, Miles Davis, Diana Krall, Autoramas, Mundo Livre S/A, Barbatuques e Jair Rodrigues.




"E fui andando sem pensar em voltar
E sem ligar pro que me aconteceu
Um belo dia vou lhe telefonar
Pra lhe dizer que aquele sonho cresceu
No ar que eu respiro,
Eu sinto prazer
De ser quem eu sou
De estar onde estou

Agora só falta você, iê, iê"


On my jukebox: Holiday - Green Day


J.M

sua -dades

E se quiser recordar
aquele nosso namoro,
quando eu ia viajar
você caía no choro,
eu chorando pela estrada,
mas o que eu posso fazer
trabalha é minha sina
eu gosto mesmo é d'ocê

on my jukebox: Hit The Road Jack - Ray Charles

Memória fotográfica


Corumbá, uma cidade totalmente “fotografável”. Seus habitantes, Centro Histórico, Porto, arquitetura. A cena que mais me deu vontade de estar com uma roleflex nas mãos: Uma barbearia, numa sala enorme, construção antiga, quase abandonada, lá dentro apenas alguns senhores, com 60 anos ou mais, imagino. Os raios do sol só entravam em uma das antigas e enormes janelas, e todo aquele espaço só tinha essa iluminação natural .O relógio marcava 12:00, hora do almoço, sol forte. Um silêncio absoluto, só o barulho da tesoura nas mãos cansadas, mais hábeis daquele senhor. Fiquei parada por 15 segundos na porta, vendo a beleza existente naquela cena. O senhor, que deve ser o dono da barbearia, apenas me encarou de volta, sem reação alguma e continuou o seu trabalho. A cena continua congelada na minha cabeça. Vendo uma foto preto e branca desse local alguém poderia dizer que era Cuba. Um momento que ficou na minha memória fotográfica.


É isso que dá sair sem câmera de casa.


"E se você puder me olhar
Se você quiser me achar
E se você trouxer o seu lar

...
Eu cuidarei do seu jantar
Do céu e do mar
E de você e de mim"


On my jukebox: Kanye West + Common - "My Way Home"


J.M

Diário de bordo







Um feriado merecido, onde todo o dia se dorme tarde e acorda cedo. Pantanal! Eu amo esse lugar. É tão bonito que “dói as vistas”. Na estrada enxerga a beleza escrachada da planície pantaneira, do rio, dos animais, o clima, a vegetação e o céu. Assim, isso é um caso à parte, Bahia e Pantanal ,os mais lindos pôr-do-sol que eu já vi no Brasil. Mochila nas costas, cara de sono e pé na estrada. O que se vê? Estudantes, jovens, mochileiros, todos na mesma situação. Sim, estamos vivendo nossa juventude, aproveitando a vida, somos jovens e rebeldes , temos vinte e poucos anos, fazemos nossa própria revolução ( ideologia anos 60, momento: “Quero pensar como meus pais há 40 anos atrás”).


Trilha sonora: Libertines, Cazuza, Nação Zumbi, Gilberto Gil, Natiruts e Rappa. Vida breve, vida loka é nóis! “Bob Falou Bob cantou : Take it easy”..... Cantarolamos a toda hora.

O feriado agora realmente começou. Terras pantanosas, estamos no meio do nada, viva a natureza, a cidade branca, onde o tempo não passa. Sem brincadeiras, “ – Que horas são? 14h30m / Você anda, conversa, tira um cochilo / - Que horas são agora? 14h36m” Meu Deus como o tempo demora a passar aqui, uma 3 dimensão, Triângulo de Bermudas, Buraco Negro e Corumbá. Brincadeira.


Estamos as três ( eu, a francesa e a pernambucana) ainda anestesiadas com a euforia, que nem sentimos o cansaço de horas de viajando. Um casarão antigo, enorme que lembra as casas de Olinda, vira a nossa sweet home por alguns dias. Uma volta na cidade de imediato, com a mesma roupa, sem saco para trocar, pois queremos participar do “agora”. Amigos que não via há tempos, abraços apertados, frio na barriga, nostalgia, e nesse momento , me sinto muito bem.

Frio. Pantanal. Pantanal . Frio, até que combina. Vinhos e Tequilas à vontade! Dimitri Pellz, que show foi esse???? Naquela hora não via nada, além daqueles cinco malucos no palco. Teatro Mágico, que lindo! Curtia o trabalho da trupe, mais não sabia que ia me emocionar tanto. Conseguiu me sensibilizar, sentir a poesia, ver a magia do circo, música e teatro tudo ao mesmo tempo. Lindo, aqueceu a noite. O sono? Estava forte, a conversa de buteco das jornalistas ficou pra depois.

Marshmallow, refrigerante de mate e rock n’ roll. O que se via na nossa sweet home. Risadas, conversas intermináveis, jazz, Feist, Yann Tiersten, Nat King Cole, Jackson Five, música francesa, a trilha sonora inteira de Amélie Poulain, rolava no playlist enquanto arrumávamos faixas, flores no cabelo, franjas, cachos e nossas roupas.

No passar do tempo, muitas andanças, curta- metragem , “Olha o Kibe”, bate -papo na praça, artes plásticas, hippies aos montes e danças exóticas pantaneiras ( já valeu a viagem). Uma balada surreal que só rola em Corumbá, de frente para o rio Paraguai, até o amanhecer, com argentinos, boa música e gente bonita. Sem contar que ouvir Geraldo Espíndola cantando “Cunhataiporã ” ao lado dos camalotes pantaneiros e trocar uma idéia com Marco Ricca, são minutos únicos. Ladeiras, muitas ladeiras, todos os dias, já lembrava da Elis cantando " Essa ladeira, que ladeira é essa? Essa é a Ladeira da Preguiça", sem contar os baratões e os inúmeros grilos pretos, que só se vê em Corumbá.

Finalmente esquenta, o sol não dá trégua, e é dia de encontrar nuestros hermanos. Bolívia, terra de Evo Morales, fronteira com cara de cidade em construção. Taxi em carros mais do que antigos, ao som de Ricky Martin, sí, la Bolívia es nuestra! Compras, saltenhas, carne de jacaré e muito calor. Mais tarde, no final do dia quem diria, estou de volta na Bolívia, um pouco mais a dentro no país, com outra companhia, outros feelings, nova sintonia, outro papo, muito Novos Baianos e Jorge Ben na vitrola, pôr-do-sol em terras estrangeiras, abraços, encontros e blá blá blá. A noite um vinho , no som Planet Hemp, e uma conversa que fazia tempo eu não tinha, estava com muitas saudades de você amiga! Depois dança, dança e mais dança. Dança e Cecília Meirelles, massa. Ainda guardo o sonho de ser bailarina. Samba, Mart'nália, Zélia Duncan ( ahhhh ela cantou a minha música preferida do Tom Zé, delirei nessa hora) camarote transbordando de pessoas, sem condições de andar, muito no mais povão! Porto e mensagens de celular para números desconhecidos (interna).


Último dia! Não! Não passou rápido, mais chegou. Minha manhã autista, enquanto todos dormiam, um dia ensolarado e eu sentada sozinha no banco da praça, óculos escuros, coca-cola , fones de ouvido, escutando “Glory Box”, Portishead, a melhor forma para curar uma ressaca da madrugada anterior, que tinha acabado de acabar. Cidade começando a esvaziar, na hora do almoço, o tempo um pouco nublado, parecia que eram apenas nós nas ruas de paralelepiperos.


Peixe, peixe, peixe, a melhor peixaria da cidade, aqui fica o jabá, Peixaria do Lulu detona. O silêncio, agora sim sentíamos o cansaço de 5 dias dormindo pouco, quase sem voz e muita diversão. Andanças na cidade,fui dar o meu “Até mais” para minha sobrinha de coração, Manu, baby lindo da minha irmã pantaneira. O sol saiu novamente, teatro com Clarice Lispector, hotel, malas, banho, uma dormida para aguentar e rua novamente. Olhamos agora com olhos de saudades, pra tudo aquilo que virou nosso cotidiano.


Apresentação da Intrépida Trupe de noite no porto, perfeita, dança nas alturas, que bonito.
Mochila, casacos, adeus e tudo mais. O frio voltou na cidade. Acabou, com direito a presentes e frases “Pra você não esquecer de mim”. O que fica é o momento, a intensidade de como foi aproveitada. Na volta, um pouco de Doors, Tim Maia e Jorge Ben na playlist. De volta a vida real, “Todo dia ela faz tudo sempre igual” cantava Chico.



Na espera do 6° Festival América do Sul.


on my jukebox: Godchild - Miles Davis


J.M